O volume de notas fiscais emitidas no Estado (de competência da Secretaria Estadual da Fazenda) somaram em 2020 o montante de R$ 164 bilhões e 168 milhões. O relatório é da Sefaz emitido no último dia 1º de fevereiro.Foram emitidas 162 milhões e 750 mil notas fiscais. Os documentos dizem respeito a Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) e Notas Fiscais do Consumidor Eletrônicas (NFC-e). O volume dá bem o perfil da economia estadual no ano passado.

Em termos de volume de dinheiro, o pior mês foi abril que registrou uma queda de 29,88% nos valores das notas fiscais eletrônicas. Já nas notas fiscais do consumidor eletrônicas a maior queda se deu no mês janeiro de 2020, da ordem de 14,69%.

Nas notas fiscais do consumidor eletrônicas (R$ 13.058.378.461,00), as perdas nos meses de janeiro, fevereiro, março, abril e novembro (29,17%) foram compensadas pelo crescimento positivo nos meses de maio, junho, julho, agosto, setembro, outubro e dezembro (59,27%). Ou seja, uma variação positiva no ano, em valores, de 23,58% positivos.

Já nas notas fiscais eletrônicas (fechou o ano envolvendo R$ 149.122.256.601,00) a elevação da movimentação econômica (a partir de notas estaduais) foi maior ainda. Registrou crescimento negativo nos meses de janeiro, abril, maio, julho e outubro (89,01% somados). Mas obteve crescimento positivo nos meses de fevereiro, março, junho, agosto, setembro, novembro e dezembro (213,56%). Uma variação positiva de 124,55%.

Deixe seu comentário:

Ponto Cartesiano

Decorridos menos da metade do mês, os auditores do Fisco já colocaram nos cofres do tesouro estadual o equivalente a R$ 213 milhões e 781 mil até esta qu...

O contorcionismo de um grupo de vereadores na Câmara, guiados pela presidente Janad Valcari, para desfazer o novelo em que se enrolaram expõe o grau de res...

A arrecadação de receitas de ICMS no Estado segue seu vetor de alta. Os auditores conseguiram até ontem (relatório desta quarta) arrecadar o mon...