Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
  • Home
  • Ponto Cartesiano
  • Promoções no Corpo de Bombeiros levantam suspeitas de uso da Corporação por motivações pessoais e alienígenas, o que, partindo-se de órgão público administrado por servidor armado, não é o que se poderia denominar de prática regular
Ponto Cartesiano

Promoções no Corpo de Bombeiros levantam suspeitas de uso da Corporação por motivações pessoais e alienígenas, o que, partindo-se de órgão público administrado por servidor armado, não é o que se poderia denominar de prática regular

A situação de comando no Corpo de Bombeiros já extrapola as raias do suportável do ponto de vista político e administrativo. No CB, como é público, há denúncias de assédio moral e sexual sendo apuradas por OAB, Defensoria e MPE parece disposto a entrar. Pelo que se conhece até aqui, os casos mereceriam, no mínimo, uma investigação.

O Bombeiros divulgou um relatório indecente por natureza: os próprios acusados investigando os fatos de que são imputados. Digo acusados (Corporação) e não os policiais investigadores. Ocorre que o Comandante seria um dos acusados e como a polícia é regida pelo princípio da hierarquia, não é difícil deduzir-se o que ocorreria ou ocorre.

No dia 17 de abril de 2019, o comandante do Corpo de Bombeiros, Reginaldo Leandro da Silva (comandante geral e presidente da Comissão de Promoções) assinou e mandou publicar o relatório da Comissão de Promoções (publicado no dia 21 de abril de 2019) com os policiais com direito a promoção.

De tenente-coronel a coronel estavam enquadrados dois oficiais: Carlos Eduardo Farias e Peterson Ornelas (tenentes-coronéis) por que atendiam os requisitos (apenas os dois) e o prazo de interstício (48 meses). Foi o que relatou a Comissão, termos em que foi aceito pelo Comandante, caso contrário não mandaria publicar oficialmente sem qualquer reparo.

Um dia depois da publicação da relação dos promovíveis, ontem, 22, o Comandante dos Bombeiros retirou o tenente-coronel Ornelas (considerado opositor de suas práticas no Bombeiros). E como: mandando publicar a portaria 046/2019, agregando Ornelas com data retroativa a 6 de março de 2019.  Ou seja, retirando Ornelas dos promovíveis, agregando-o ao governo.

Ornelas está cedido ao Naturatins desde março mas, contrariando o período aquisitivo, o comando dos Bombeiros decidiu ir contra o parecer da Comissão de Promoção que viu em Ornelas condições técnicas (período aquisitivo antes da cessão) para ser promovido conforme a lei.

Ornelas, sem saber da publicação, levou a família para receber a promoção, como é usual nas corporações militares. A esta altura o DO já estava circulando com a promoção POR ESCOLHA (como está no Diário Oficial) de apenas um tenente-coronel: Carlos Eduardo Farias, ligado ao comandante. E que Ornelas, de promovido pela Comissão, teria sido atropelado da patente em um dia!!! E com data retroativa a 45 dias!!

Posts relacionados

Com 12 a 18 pontos percentuais de gordura para queimar, Carlesse segue para vitória no primeiro turno. É o que aponta pesquisa Vetor/Fieto nesta 6ª

luizarmandocosta

Vicentinho cai mas mantém a liderança no primeiro voto com 17% contra 15% do 2º colocado e 11% do terceiro. No 1º e 2º votos estimulados também se elegeria com 20%

luizarmandocosta

Palmas enxuta, Estado sem controle. Execução orçamentária de governo e prefeitura diferem entre si, ainda que ambos tenham sido criados quase ao mesmo tempo!!

luizarmandocosta

1 comment

Pracinha da silva 23 de abril de 2019 at 2:18 pm

Sr. Armando.
O CBM-TO está em apuros e respira por ajuda de aparelhos.
Não bastasse todos esses escândalos, a corporação está totalmente sucateada, na maioria das unidades as viaturas estão quebradas por falta de manutenção preventiva, ambulâncias e carros contra incêndio parados por má gestão administrativa. O serviço operacional sucumbe em face ao administrativo e quem mais sofre com isso é a população.
Não obstante, a promoção veio, porém sem impacto financeiro imediato e além disso, os que não foram promovidos verticalmente não receberam o direito de serem progredido horizontalmente, conforme prega o regulamento.
Está uma bagunça só e não tem perspectiva de melhora.

Reply

Deixe seu comentário