Não é preciso ir longe para observar os problemas da vacinação no Estado. De 18 de janeiro (quando chegaram os primeiros imunizantes), o governo distribuiu aos municípios 33 mil e 687 doses (de 60,9 mil que recebeu).

O suficiente para apenas 2% da população de um Estado que registrava ontem 103 mil e 616 contaminados e 1 mil e 402 óbitos.

Um Estado onde cidades com Aguiarnópolis tem 9.361 contaminados/100 mil ou Natividade que registra 7.700/100 mil. Ou ainda Lagoa da Confusão com os seus 6.153/100 mil. No Brasil é 4.471/100 mil.

Das doses distribuídas, o vacinômetro registrava ontem apenas 11 mil e 995 doses aplicadas (informadas). Ou seja: os municípios teriam aplicado em 18 dias apenas 35% dos imunizantes que receberam.

Nestes 18 dias de vacinação, entretanto, foram registrados 7 mil novos casos e 86 óbitos. Uma média diária de cinco mortes pelo Covid-19.

E ontem, Ministério Público acionava a associação dos prefeitos. Motivo: pelo menos 18 deles não haviam buscado no governo as vacinas de seu município disponíveis há dez dias para imunizar a população.

É caso de polícia ou não é?

Deixe seu comentário:

Destaque

A nota da Secretaria Estadual de Saúde (que circulou na noite de ontem) embute na já complicada situação da pandemia no Estado mais ingrediente des...

Caros, o governo aplicou em 2020 na saúde e educação valores superiores à determinação constitucional. Foram 26,07% na edu...

O deputado Arthur Lira visitou nesta segunda o governador Mauro Carlesse. O encontro foi no Palácio Araguaia. Lira roda o país atrás de votos dos deputados fed...