O governo irá, nos próximos dias, implementar um enxugamento na máquina administrativa para reduzir de 10% a 15% as despesas mas não irá demitir servidores. A garantia foi dada hoje no Palácio Araguaia pelo governador Mauro Carlesse na posse de novos secretários e oficialização de remanejamento de outros auxiliares.

O corte, conforme o Governador, se faz necessário porque a partir de março o governo não terá mais os recursos da pandemia. O governo recebeu no ano passado (de PFEC I e II e ajuda financeira) algo próximo de R$ 800 milhões. “E houve queda de arrecadação”, disse o governador, relacionando, evidentemente, à frustração das receitas federais que implicaram na redução das transferências federais ao Estado.

Carlesse anunciou, também, ter a garantia do governo federal do Estado ser um dos primeiros a receberem a vacina de imunização da Covid-19 e cujo calendário deve ser definido em reunião de governadores no próximo dia 3 de fevereiro. “Vamos começar a vacinar”, disse o Chefe do Executivo.

A reunião de posse de Miuki Yashida (Meio Ambiente), Paulo Lima (Adapec), Jaime Café (Agricultura/não compareceu por Covid) e Renato Jaime (Naturatins) acabou possibilitando oportunidade a Carlesse de agradecer o Secretariado, servidores e parlamentares.

E apontar uma espécie de norte magnético fundado no municipalismo e na agregação de valores, independentemente de princípios ideológicos e partidários, como comprova a utilização de auxiliares que já estiveram do lado adversário. "Valorizamos os técnicos para o bem do Estado", disse.

Um discurso azeitado com o pronunciamento do vice-governador Wanderlei Barbosa que destacou trabalhar o governo de forma unida e que não demite auxiliares apenas os remaneja quando observar necessário.”Um governo que dá oportunidades e abraça os companheiros e a sociedade”, pregou o vice.

Para Carlesse, os secretários são os responsáveis por fazer o Tocantins o melhor Estado do Brasil, lembrando as dificuldades encontradas e as condições do governo que herdou de seus antecessores. Para ele, hoje o governo não deve fornecedores e o pagamento do funcionalismo é feito rigorosamente em dia. “Hoje estamos com equilíbrio financeiro e fiscal, é hora de manter o equilíbrio e produzir”.

Produção que pode aumentar com a viabilização de projeto anunciado por Mauro Carlesse de regularizar cerca de 80  mil propriedades rurais no Estado que, para o Governador, além de aumentar a produção, valorizará as propriedades de 80 a 100 vezes  mais.  “O Estado não pode ser adversário dele mesmo”. Justificou o Governador cobrando agilidade dos órgãos responsáveis pelas licenças ambientais.

Deixe seu comentário:

Ponto Cartesiano

A arrecadação de impostos federais no Tocantins sofreu uma redução de 8,9% no ano passado em relação ao arrecadado em 2019. Dados da Rec...

O governo já tinha arrecadado de ICMS até ontem o montante de R$ 307 milhões e 112 mil no Estado. O valor colocado nos cofres do tesouro pelo Fisco j&a...

Segundo o site Poder360 nesta terça, o Tocantins, junto com Mato Grosso e Roraima não tinham até a noite de ontem atualizado junto ao Ministério da Sa&...