O prefeito de Porto Nacional, Ronivon Maciel, não está mesmo numa maré boa. Autorizou a Federação Tocantinense de Futebol realizar partidas do estadual no Estádio General Sampaio e os jogos não puderam ser realizados por força de intervenção da Polícia Militar alegando decreto estadual. Como é lógico, o General Sampaio e do poder público municipal, subordinado às competências municipais e não estaduais. Competências realçadas pelo STF na pandemia. Cada qual com seu cada qual. Além do governo não ser superior às prefeituras, ele no seu decreto recomenda e não determina as restrições que não pode determinar. Como bem disse o vice-presidente Pedro Aleixo sobre o general Costa e Silva (então presidente) na edição do AI-56: “Das mãos honradas do presidente Costa e Silva, jamais (desconfio). Desconfio é do guarda da esquina”.

Deixe seu comentário:

Ponte Aérea

Cotas

12/05/2021

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins (Aleto), deputado Antônio Andrade (PTB), recebeu na manhã desta terça-feira, 11, representantes da...

CDC neles

10/05/2021

Após protagonizar uma "briga" entre três deputados estaduais portuenses, a cidade vê, agora, encabulada, encafifada e sentindo-se lesada,&nb...

Frente ampla

09/05/2021

O superintendente do Sebrae Tocantins, Moisés Gomes, defendeu esta semana ao blog a necessidade de acompanhamento da população e dos parlamentares do cum...