Dois pescadores foram resgatados por uma equipe da Companhia Independente de Busca e Salvamento (CIBS), após terem a embarcação naufragada na madrugada desta segunda-feira, 09. Ambos tiveram alguns ferimentos. O barco e o motor dos pescadores também foram recuperados pelos bombeiros militares.

 

A dupla pescava no lago da Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães, entre o Aeroporto Internacional Brigadeiro Lysias Rodrigues e a Ilha das Cobras, em Palmas, quando houve o naufrágio.

 

As buscas foram solicitadas pela esposa de um dos pescadores, relatando que o marido havia informado que voltaria para casa por volta das 22h, do domingo, 08. Como o fato não ocorreu, a mulher acionou o Corpo de Bombeiros Militar, por volta das 5h, de segunda-feira.

 

Os trabalhos foram iniciados de imediato, com uma equipe da CIBS se deslocando na direção onde os homens haviam informado que iriam pescar. Uma hora depois, os bombeiros militares avistaram um sinal de luz emitido por uma das vítimas.

 

Os dois estavam agarrados a um “paliteiro”, no meio do lago. Segundo informaram, o mau tempo e a ventania provocaram o naufrágio da embarcação, que ficou apenas com a proa fora da água.

 

Após o resgate dos pescadores, os bombeiros recuperaram também a embarcação com o motor, e tudo foi levado para a Praia do Caju. A Marinha estava no local, e passou a acompanhar o ocorrido.

 

Devido ao constante movimento da água, os pescadores eram lançados contra a madeira onde estavam agarrados, o que causou algumas lesões leves. Os bombeiros realizaram alguns procedimentos e ainda orientaram a dupla sobre os curativos, já que não quiseram ser encaminhados para o Pronto Socorro.

 

As orientações

 

Com o período chuvoso, a incidência de ventos e raios, o Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins faz alguns alertas para quem costuma frequentar o Lago de Palmas, seja de barco de alumínio, ou embarcações maiores.

 

O sargento Felipe Bitencourt, um dos bombeiros militares que estavam na equipe que resgatou os pescadores, fez uma série de pontuações quanto aos cuidados nesta época. “É imprescindível que todos na embarcação usem colete salva vidas”, disse.

 

Bitencourt ainda relatou que “é importante também que o piloto do barco tenha sempre um apito e uma lanterna para sinalizar em caso de naufrágio”. “Antes de entrar no Lago, é preciso observar a previsão do tempo. Isso ajuda a evitar alguns imprevistos”, destaca o sargento.

 

Vale ainda, conforme pontua o bombeiro militar, manter sempre alguém avisado sobre o local onde vai se estar e o horário previsto para o retorno. “Caso o tempo mude e feche, procure navegar para a margem mais próxima e aguarde a chuva passar”, recomenda Felipe Bitencourt.

 

Outra dica é a amarração de um objeto flutuante (garrafa pet, flutuador), na embarcação, com cabo extenso, pois em caso de naufrágio, ficará mais fácil a localização nas buscas.

Deixe seu comentário:

1 Comentário(s)

  • Uzimael da cruz lima
    23/10/2023

    Na minha opinião, depois quê esgotar todas as tentativas, basta parar os trabalhos, por uma semana pelos impactados, veremos o resultados, outra coisa para onde vai esse dinheiro? entra no contra cheque e sai, sai para onde?

Destaque

O projeto de construção da infraestrutura turística na praia do Lago do Manoel Alves, localizado em uma região entre os municípios de Dia...

O senador Irajá Abreu (PSD) dá indícios de querer escalar sua campanha eleitoral com quatro anos de antecedência. Se até agora fazia uso de sua...

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, fez o que a Justiça no Estado deveria fazê-lo: determinar a posse do presidente eleito da Câmara de Ver...