Ao acompanhar o partido e seguir com o senador Rodrigo Pacheco (o candidato de Bolsonaro) na disputa pela presidência do Senado, a senadora Kátia Abreu, por gravidade, aproxima-se do Presidente. Ainda que tenha um vasto circulo de relacionamento com os senadores (e deputados) mais alinhados à oposição a  Jair Bolsonaro. Na verdade, uma sinuca de bico: o líder de Bolsonaro no Congresso é o senador Eduardo Gomes, do MDB e que, pela lógica palaciana, apoiará o candidato do Palácio do Planalto. Evidente que ao filiar-se ao PP (um partido  do denominado Centrão), a Senadora estaria sujeita ao escrutínio de que teria bolsonado, ainda que não tenha sido esta a idéia.

Deixe seu comentário:

Ponte Aérea

O governador Mauro Carlesse é um dos 15 governadores signatários da carta encaminhada ontem pelos governadores de Estado ao presidente Jair Bolsonaro pedindo abe...

"Nessa hora não tem lado partidário. Estamos unidos para saber qual a real situação antes que seja tarde demais. O Tocantins tem 11 par...

A eleição (chapa única) do novo presidente da Associação dos Municípios, o prefeito reeleito de Talismã, Diogo Borges, exp...