O balanço publicado pelo governo demonstra de forma inequívoca que as receitas estaduais não tiveram impulso negativo na pandemia.

O governo teve de receitas correntes em dezembro/2020 um total de R$ 1,3 bilhões no mês. O valor é R$ 419 milhões (47,4% a mais) que os R$ 881 milhões de receitas correntes realizadas em janeiro/2020.

A menor receita foi em abril (R$ 755 milhões). Mas nos demais, as receitas mantiveram-se com viés de alta, ao contrário da crise econômica anunciada.

Foram R$ 1,050 bilhão (fevereiro), R$ 901 milhões (março), R$ 859 milhões (maio), R$ 958 milhões (junho) e R$ 972 milhões (julho). E aí deu um pulo: foram R$ 1,029 bilhão (agosto), caindo um pouco em setembro (R$ 967 milhões), outubro (R$ 1,041 bilhão) e novembro (R$ 1,016 bilhão).

O valor de novembro de 2020 é R$ 125 milhões superior aos R$ 891 milhões de novembro de 2019. Já as receitas de dezembro de 2020 representam 11,4% (R$ 134 milhões) acima dos R$ 1,166 bilhões de dezembro de 2019.

Contra uma inflação (últimos 12 meses) de 4,52%. E a propalada crise econômica provocada pelo vírus.

Deixe seu comentário:

Ponto Cartesiano

 O volume de notas fiscais emitidas no Estado (de competência da Secretaria Estadual da Fazenda) somaram em 2020 o montante de R$ 164 bilhões e 168 mil...

Os deputados retomam a discussão sobre a criação de novos municípios no Estado.  Extraindo a inoportunidade do debate (Estado deve registrar nes...

O governo vai pagar os salários de fevereiro do funcionalismo no sábado. Segue o compromisso mantido por Mauro Carlesse desde a interinidade no governo até hoj...