O Ministério Público do Tocantins (MPTO), por meio da 19ª Promotoria de Justiça da Capital, instaurou, nesta sexta-feira, 19, procedimento administrativo que visa a reestruturação da oferta de leitos de UTI, leitos clínicos e dos demais serviços prestados pelo Hospital e Maternidade Dona Regina (HMDR), de modo a adequá-la à atual demanda de pacientes da unidade de saúde.

O procedimento fundamenta-se no fato de que o hospital e maternidade possui uma procura crescente de atendimentos, sendo recorrentes na 19ª Promotoria de Justiça da Capital as reclamações relacionadas à  oferta dos serviços, insumos e leitos clínicos e de UTI, o que levou o promotor de Justiça Thiago Ribeiro Franco Vilela a concluir que a demanda pelos serviços é superior à capacidade de atendimento da unidade hospitalar.

A partir da instauração do procedimento, a 19ª Promotoria de Justiça da Capital vai apurar detalhadamente as informações e empreender diligências junto à Secretaria Estadual de Saúde (SES) e demais órgãos, objetivando as adequações nos serviços do HMDR.

O Hospital e Maternidade Dona Regina realiza atendimentos complexos às gestantes, desde exame pré-natal até procedimentos cirúrgicos avançados nas parturientes e também nas crianças.

 

Deixe seu comentário:

Estado

Hoje o Tocantins contabilizou 711 novos casos confirmados da Covid-19, sendo 296 das últimas 24h. O restante é de exames coletados em dias anteriores e que tiveram se...

Termina nesta sexta-feira, 26, o prazo para as inscrições no Concurso Público do Corpo de Bombeiros Militar, que está abrindo 115 vagas. O certame &ea...

Os serviços de manutenção e reparos nas estradas rurais de Gurupi continuam. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Infraestrutura, segue com o cronograma de...