Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
  • Home
  • Ponto Cartesiano
  • Mensagem do governo ao Legislativo informa reduçao de despesas com pessoal no 2º quadrimestre e omite o aumento do gasto registrado no 3º, dentro do período proibitivo eleitoral
Ponto Cartesiano

Mensagem do governo ao Legislativo informa reduçao de despesas com pessoal no 2º quadrimestre e omite o aumento do gasto registrado no 3º, dentro do período proibitivo eleitoral

Sigamos tentando entender o governo. Alguns leitores ficam contrariados pela minha disposição em escrutinar diariamente as ações da administração pública. Outros tem opinião contrária. Ora, o governo é o maior empregador do Estado (50 mil servidores). Dos salários, dependem diretamente 200 mil pessoas.

Se fosse uma empresa, o governo seria um portento: um faturamento anual de R$ 10 bilhões administrado por duas dezenas de gestores comandados por apenas uma pessoa. Na iniciativa privada, um conselho de administradores seria o responsável por investimentos, despesas e receitas. Se desse prejuízo aos acionistas e investidores, seria demitido. No governo, não.

Tomemos a mensagem de Mauro Carlesse ontem aos deputados. O Governador cita que desde 2013 o governo não consegue se enquadrar na LRF. É fato. O governo aponta o dedo, como se nota, entretanto, é para Marcelo Miranda.

Mas de 2003 a 2018 o governo só fechou dentro da LRF (no que toca a despesas com pessoal) em oito exercícios. Nesse 2013 que ele explora, governo Sandoval Cardoso/Siqueira Campos, o a administração fechou o terceiro quadrimestre consumindo 51,09% da RCL com salários.

Nessa mesma linha, os assessores de Mauro Carlesse fizeram ele assinar uma mensagem ao Legislativo pregando que o Governador haveria reduzido essas despesas. Pegou um comprometimento de 58,22% (1º quadrimestre), reduzindo-o para 55,34% no segundo quadrimestre.

Convenientemente, o governo omite na nota os 56,67% do terceiro quadrimestre de 2018. Ou seja, Carlesse teria aumentado a despesa com pessoal em pleno período proibitivo eleitoral de contratações e de concessão de benefícios a empregados.

Aliás, aumento de despesas até mesmo registrado no balanço publicado na semana passada: liquidou despesa bruta com salários em agosto de 2018 (último mês do segundo quadrimestre)  o valor de R$ 393.835.448,56 contra os R$ 728.125.607,22 de dezembro (terceiro quadrimestre).

O governo propaga na mensagem que haveria cortado despesas de R$ 328 milhões (e não há porque duvidar. O problema é que, se ainda assim fechou o quadrimestre pior que o anterior,  os números estão a indicar que teria enfiado o pé na jaca de agosto a dezembro. Em pleno período pré e pós eleitoral.

Mas o governo pede confiança. Não há outra saída.

Posts relacionados

Promoções no Corpo de Bombeiros levantam suspeitas de uso da Corporação por motivações pessoais e alienígenas, o que, partindo-se de órgão público administrado por servidor armado, não é o que se poderia denominar de prática regular

luizarmandocosta

Aviso prévio de médicos acaba esta semana!!!! Governo faz ouvidos de mercador nos corredores dos hospitais públicos

luizarmandocosta

Carlesse promete iniciar reforma da ponte na segunda. E manda fazer licitação da nova. Que bom não fosse sua intenção, no que fundamenta, frágil como a estrutura da velha ponte!!

luizarmandocosta

Deixe seu comentário