• Home
  • Ponto Cartesiano
  • Para impor projeto político de cidade moderna e dar um up-grade aos empresários de energia solar, prefeitura e vereadores empurram quiosqueiros para buraco
Ponto Cartesiano

Para impor projeto político de cidade moderna e dar um up-grade aos empresários de energia solar, prefeitura e vereadores empurram quiosqueiros para buraco

Vereadores e a prefeitura de Palmas são dez: a Câmara aprovou uma lei e a prefeita, com fundamento nela, está obrigando quiosqueiros a incluírem nos projetos arquitetônicos captação de energia solar. Custo: R$ 100 mil.  A lei é de Carlos Amastha, o decreto de Cíntia Ribeiro.

Ora, quiosques são empreendimentos considerados microempresa que tem, portanto, uma receita bruta anual até R$ 360 mil. Ou: R$ 30 mil brutos mês.

O projeto de captação consumiria do microempreendedor 28% de seu faturamento anual. E que se note: faturamento não é dividendo nem lucro.

Dinheiro que sai do bolso do permissionário direto para os cofres das empresas de captação energia solar. Isto porque a obrigação do projeto leva à instalação do sistema.

Pior: caso a prefeitura decida, mais tarde, rescindir tal contrato (é um ato discricionário) com o permissionário evidentemente que o empresário ficará no prejuízo porque não poderá carregar seu investimento nas costas.

E olha que o princípio básico da permissão de área pública como esta (quiosques) é justamente incrementar a economia, combater desemprego e formalizar a informalidade. Saída encontrada por muitos para enfrentar a crise econômica.

Ou seja, para dar representação a uma decisão política (mostrar uma cidade moderna) o poder público impõe ao microempresário parcela do ônus. Já que a outra parte a população será a responsável com o incentivo aos empresários da energia solar.

Estes sim, ganharão, de graça, um mercado em detrimento do microempresário local (quiosqueiro), obrigado a contrariar o princípio básico do empreendedor: não investir além de sua capacidade e que tem feito muitos (alguns desde o início da cidade) manterem seus negócios (e empregos), aliviando um pouco dos problemas do próprio poder público.

Posts relacionados

Oficial relata, conforme JTo deste sábado, que estava atrás de duas malas de dinheiro ao abordar veículo da prefeita!! Amastha e a população que se cuidem!!

luizarmandocosta

Essa baixaria não é nova. Mas era lógico que noticiar prisão de agiotas destacando nacionalidade com estrangeiro na disputa daria “godó”

luizarmandocosta

Temer, além de incentivar o trabalhador a consumir sua poupança do FGTS com empréstimos num país de 12 milhões de desempregados, bota tudo na Caixa

luizarmandocosta

Deixe seu comentário