Em dois dias, 25 e 26 de novembro, um grupo de profissionais da rede pública de saúde participou da programação de encerramento dos cursos de especialização em Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde do SUS (GPRS) e em Educação na Saúde para Preceptores no SUS (PSUS), oferecida pelo Instituto de Ensino e Pesquisa Sírio-Libanês, em parceria com a Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp). 

 

De forma virtual, os novos especialistas tiveram como atividade de conclusão do curso a apresentação dos projetos de intervenção que foram desenvolvidos no decorrer da especialização, participaram das oficinas de trabalho ‘Construindo o Futuro da Intervenção’ e avaliação ‘Sentidos e significados do Projeto Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no SUS (DGPSUS)’.

 

Na ocasião, cada um dos especializandos compartilhou com o grupo técnico de profissionais convidados e as facilitadoras do Sírio-Libanês, um projeto de intervenção em seus cenários de práticas, buscando evidenciar suas competências, bem como a implantação no serviço na rede de saúde. Os projetos apresentaram resultados importantes e promissores para apoiar e melhorar a qualificação e a prática da preceptoria em saúde. 

 

A presidente da Fesp, Marttha Ramos, apoiou o evento e destacou o papel da Fesp em oferecer o cenário de prática ao Sírio-Libanês por meio dos seus preceptores das residências em saúde. “Agradeço a essa instituição que tem sido parceira da Fesp em vários outros processos o que nos fortalece enquanto escola de saúde pública, o que é revestido em vantagens sociais para a população do município de Palmas. Agradecer os nossos preceptores envolvidos na formação e parabenizá-los pelo olhar sensível ao trabalho e ao ensino-saúde com seus Projetos de Intervenção”, disse a presidente. 

 

A turma dos novos especialistas é composta por 17 profissionais que são trabalhadores da saúde e atuam como preceptores nos Programas de Residências em Saúde da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) e da Universidade de Gurupi (Unirg).

 

A facilitadora do Instituto de Ensino e Pesquisa Sírio-Libanês, Luciana Nogueira Fioroni, ressaltou que a especialização oferece qualificação aos técnicos que estão à frente dos programas de residência em saúde e da preceptoria de residentes, por meio de intervenções realizadas na gestão do serviço ensino e prática. “Durante os módulos do curso, trabalhamos na construção dos projetos de intervenção e também na sua implantação. Com diálogo aberto e colaborativo entre todos os participantes, a formação possibilita a troca de experiências, práticas na gestão dos programas, visando principalmente à reorientação dos modelos de atenção e de formação, no sentido da ampliação do acesso e da integralidade do cuidado em redes de atenção à saúde”, explica a facilitadora.

Deixe seu comentário:

Estado

O Governo do Tocantins, desde o início da pandemia decorrente do novo Coronavírus, não mediu esforços para ajudar a população toc...

A fim de cumprir a ordem de prioridade da vacina contra a Covid-19, a Secretaria Municipal de Saúde de Palmas deverá encaminhar ao Ministério Púbico a l...

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 2ª Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos (2ª Denarc) de Araguaína, deflagrou nas pr...