Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
  • Home
  • Ponto Cartesiano
  • Teoria do fim do mundo: sem cobrar dívida de meio trilhão das grandes empresas,Guedes exercita ameaça à população de que sem reforma da Previdência, pais quebra daqui a um ano!!
Ponto Cartesiano

Teoria do fim do mundo: sem cobrar dívida de meio trilhão das grandes empresas,Guedes exercita ameaça à população de que sem reforma da Previdência, pais quebra daqui a um ano!!

O governo federal decidiu dar fundo na empulhação: o ministro Paulo Guedes ameaçou ontem que se a reforma da Previdência não for aprovada, o país quebra no próximo ano.

O ministro terminou demonstrando a incapacidade do governo para convencimento de parlamentares, apostando nos efeitos da teoria do fim do mundo na população.

Enxergando os problemas políticos provocados pela verborragia do presidente, faz da ameaça instrumento de pressão para que deputados e senadores desçam goela adentro a agenda econômica “liberal” do governo.

O déficit da Previdência em 2018 foi de 7%. Diferença entre o que arrecadou e gastou. Não há dúvidas de que a perspectiva de vida do brasileiro tem aumentado acima da arrecadação do INSS que depende, por seu turno, em larga medida, de pessoas empregadas.

No país, já há 13 milhões de desempregados. O combate ao desemprego, entretanto, não está incluído da agenda do fim do mundo do Palácio do Planalto.

Ocorre que, por outro lado, o governo federal não cobra o meio trilhão (R$ 499 bilhões/dados da PGFN) dos devedores da Previdência. Cerca de R$ 172 milhôes de empresas ligadas a deputados federais, de acordo com relatório da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

Governo e Congresso exercem cara de paisagem também para os R$ 60 bilhões de isenções de contribuição. Dentre elas, para os exportadores do agronegócio que tiveram um superávit de US$ 58,7 bilhões no ano passado.

Algo em torno de R$ 240 bilhões. Mas não precisam recolher a contribuição previdenciária. São totalmente isentos. Acrescido pelas isenções de entidades filantrópicas e microempresas.

Outra distorção:  vão atrás, como é notório, do cidadão (70%) da iniciativa privada, que contribui e receberá suas aposentadorias pelo teto do INSS. Uma média de R$ 1 mil e 100 contra a média nacional de aposentadorias no serviço público de R$ 7 mil e 500.

Mas se a reforma não for aprovada nos termos em que a propõe o governo federal, o país quebra daqui a um ano!!!! Ora, ora…como se o principal problema do Brasil fosse a Previdência. Seria a passagem para um novo mundo!!! Cheio de dinheiro, emprego e felicidade.

Posts relacionados

RedeSat: governo pode extinguir o que quiser. Não pode é manejar, como numa campanha eleitoral, o cérebro da população!!

luizarmandocosta

PSDB corre contra o tempo para arbitrar questões internas. Tucanos querem aparar arestas nas próximas semanas

luizarmandocosta

Rotativas da alma. No Jornal do Tocantins desta quarta

luizarmandocosta

1 comment

CARLOS ALBERTO RODRIGUES 25 de maio de 2019 at 3:49 pm

ESSE PAULO GUEDES É UM PULHA, MENTIROSO, A PREVIDÊNCIA NÃO ESTÁ QUEBRADA, E A REFORMA NÃO IRÁ RESOLVER OS PROBLEMAS DO BRASIL, ALIÁS ELE É UM BANQUEIRO, PAU MANDADO DE BANQUEIROS, SE ESSA REFORMA PASSAR ESTAREMOS ESCRAVOS DE BANQUEIROS, SE SAIR JÁ IRÁ TARDE, AVISO AOS PARLAMENTARES DO TOCANTINS ESTAMOS DE OLHO EM VOCÊS NÃO APROVEM ESSA REFORMA DA PREVIDÊNCIA PARA O BEM DO POVO TRABALHADOR E DO BRASIL.

Reply

Deixe seu comentário