Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
  • Home
  • Ponto Cartesiano
  • Interesse público, contingente e necessário, meu artigo desta quarta no Jornal do Tocantins
Ponto Cartesiano

Interesse público, contingente e necessário, meu artigo desta quarta no Jornal do Tocantins

O governo e frigoríficos tem encontro agendado para amanhã sobre a queda de braço que tem empreendido há uma semana. Ainda que anunciada e comunicada aos empresários há cerca de dois meses, o setor revelou-se surpreendido com a publicação da portaria da Secretaria da Fazenda suspendendo os benefícios.

Uma reação só possível considerando-se a certeza de manutenção, por impulso meramente político, de uma inércia governamental claudicante e temerária de não revisar acordos que, como a própria nomenclatura determina, só valem enquanto os participantes respeitam os termos acordados.

Caso contrário, não estaria de acordo. E, tudo indica, uma parte estaria inadimplente. Isto, nas renúncias fiscais, sujeitaria a parte que descumprira o acordado, aos efeitos não só de suspensão, mas de cancelamento dos benefícios.

O bom senso aconselharia que se entendessem em favor do interesse privado e público e que ações e reações de ambos não recebam, na discussão desta quarta, a mesma modulação que colocou, sem que tenha para elas contribuído, duas opções ao consumidor: ficar sem a carne ou pagar mais caro por ela.

Leia mais: https://www.jornaldotocantins.com.br/editorias/opiniao/tend%C3%AAncias-e-ideias-1.1694943/interesse-p%C3%BAblico-contingente-e-necess%C3%A1rio-1.1904618

Posts relacionados

Indignação dos policiais militares sobre a falta de promoções há cerca de três anos quando governo cria mais cargos pode ser mais um problema criado pelo próprio Palácio

luizarmandocosta

Contratação de médicos anunciada como avanço pode se apresentar como retrocesso

luizarmandocosta

CCJ aprova projeto que reduz taxas dos cartórios, aceitando TJ canibalizar proposta para quadruplicar receitas corrigindo taxas. Se cartório reduziu preços, TJ os aumentou!É, faz sentido!

luizarmandocosta

Deixe seu comentário