Categoria : Ponte Aérea

Ponte Aérea

Dorivã, lá

luizarmandocosta
O cantor Dorivã Borges com CD novo na praça. Faz no próximo dia 14 de novembro apresentação no Clube Naval em Brasília (DF). Dorivã faz na Capital da República o show Passarim do Jalapão. Aliás, Dorivã tem sido, na prática, o músico/cantor com maior atividade dentro e fora do Estado. Ganha tudo quanto é edital de que participa pelo país. Não sem méritos: com sua música já é a cara do Tocantins nas suas incursões dentro e fora do Brasil.
Ponte Aérea

Empoderamento e desempoderamento!!!!

luizarmandocosta
A deputada Luana Ribeiro empoderando a mulher (e o homem). Mandou instalar um salão de beleza na sede do Legislativo estadual. Uma conquista de gênero de sua gestão como se o trata. Quando a ex-primeira dama, Marisa Letícia, decidiu empoderar o PT (e o governo ideologicamente) com um jardim em forma de estrela vermelha no Palácio da Alvorada, foi lembrada pelo país que ainda pensa sobre a disfunção e impropriedade de confundir vontade pessoal com interesse e patrimônio públicos. Pode não ser a melhor estratégia para ser reeleita à presidência de um poder.
Ponte Aérea

Pé-de-chinelo

luizarmandocosta
O jornalista esportivo (JTO/CBN), Reinaldo Cisterna, com uma campanha interessante: mudar o nome do kartódromo Rubinho Barrichello, na Capital. A homenagem foi feita em 2002 (governo Siqueira Campos). Esperava-se divulgação do Estado e da Capital. Ocorre que Rubinho sequer abanou o rabo há 16 anos (deve estar rindo até hoje dos bestas) e Estado ficou com brocha nas mãos e com tantos tocantinenses que contribuíram com a sua história para perpetuar seus nomes em obras públicas. Amanhã o kartódromo Rubinho Pé-de-Chinelo recebe a abertura do campeonato estadual de kart. Um domingão bacana.
Ponte Aérea

Desvios no Igeprev/Previpalmas e o seu elemento

luizarmandocosta
Já há quem veja na questão do Previpalmas e do Igeprev um elemento comum de dois gêneros. Ou seja, os supostos desvios não teriam coloração de grupos políticos do Estado. Mas ideológicos de matiz exógena. Haveria um comando de fora. Faz algum sentido: Igeprev e Previpalmas eram comandados por correntes políticas díspares e antagonistas no período das aplicações questionadas. A intersecção é justamente o desvio. Muitos apontam-no a Zé Dirceu outros a João Vaccari Neto (envolvido em desvios da Funcef, Petros e Postalis). Ambos, entretanto, capos do PT. O que isentaria muita gente por aí.
Ponte Aérea

Siqueira vem na segunda

luizarmandocosta
O ex-governador Siqueira Campos, já recuperado, deve retornar a Palmas na próxima segunda-feira. A informação ao blog foi dada ontem pelo deputado estadual Eduardo Siqueira. Siqueira é o primeiro suplente do senador eleito Eduardo Gomes. Pode assumir a vaga por algum período. Até por respeito de Gomes à história de Siqueira, fundamental na sua própria vida política.  Admiradores e seguidores já preparam festa de boas-vindas. Como nos velhos tempos, pelo jeito.
Ponte Aérea

Pule de dez

luizarmandocosta
Como votação expressiva para o Senado, o deputado federal César Hallun é considerado uma aposta “pule de dez” no secretariado do próximo governo Mauro Carlesse. Leal ao governador desde o princípio, foi prejudicado no processo eleitoral pelo cangapé que lhe deu o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, depois dos recursos que entregou ao prefeito para aplicar na cidade e eleger o filho deputado federal.
Ponte Aérea

PIB da Indústria

luizarmandocosta
Roberto Pires, presidente da Fieto, tem feito um bem enorme à economia regional. A entidade fortalece seu papel a cada dia. Depois do Plano Estratégico para as Cadeias Produtivas do Agronegócio – 2018/2027, a Fieto divulga nesta quarta a estimativa do PIB industrial do Estado do Tocantins. Estudo do Bradesco (abril/2018) – com uma base de dados de 2015 – demonstra que na composição setorial, o PIB da indústria representava meros 10% do PIB do Estado (de R$ 29 bilhões). Sendo 6% na indústria da construção civil e apenas 4% na indústria de transformação. Uma clara evidência da falta de industrialização e do perfil da economia, situado no setor primário e nos escandalosos 32% de participação da administração pública.